Testamento

10:51

 
 
Ele me olhava pela soleira da porta, eu percebi seu olhar logo que chegou. Nesses últimos dias ele estava tão distante que sua presença me surpreendeu. Olhou atento a bagunça que eu fizera revirando as gavetas, perguntou, em um tom de voz irônico, o que eu estava fazendo. Para surpresa dele eu sorri. Eu gargalhei. Coisas que há algum tempo ele não me via fazer. Ao ver sua cara de confuso, respondi, ainda me divertindo, que estava apenas organizando as nossas coisas. Ele revirou os olhos e saiu. Eu mantive o semblante feliz, enquanto arrumava minhas malas.


  Eu decidi te matar dentro de mim, e parar de insistir que o “felizes para sempre” tenha que durar para sempre. Pra te matar em mim, eu vou precisar morrer dentro de você, e como todo bom texto dramático que eu escrevo, deixo meu testamento.

Bom amor, primeiramente deixo com você a certeza de que não devolverei nenhum dos presentes que você me deu.
Em segundo, quero que fique com o nosso primeiro beijo, há três anos atrás, quando você ainda era divertido, e eu estava bobamente apaixonada.
Terceiro, entrego-lhe a certeza de que nunca amarei alguém como amei você, daqui pra frente eu vou só subir de nível, quero ainda mais intensidade. Deixo pra você o nosso abraço mais forte, no nosso primeiro ano de namoro.
Ah! Quero que fique com todas as minhas lágrimas que desperdicei nesses últimos anos. Dá pra encher a piscina da sua casa, daí você pode fingir que está na praia com o seu novo brinquedinho, que você deve providenciar logo, logo.
Pode ficar também com os nossos “apelidinhos  fofos”. Quero explorar minha capacidade de ser criativa ao inventar novos, para o meu próximo novo amor.
Estarão empacotadas dentro do armário, as nossas brigas, bem ao lado de todos os “eu te amo” que foram desmentidos em cada uma delas.
Deixo um CD da Taylor Swift, com a música “We are never ever getting back together “ , só pra você não se esquecer da mensagem.
Aqueles nossos segredos, não se preocupe, eles eu guardei dentro de mim em um lugar que eu não possa tirar, nem pra mim, nem pra ninguém, então esqueça-os também.
Por fim, te deixo um último beijo. Ele não vai ser o mais caloroso, nem o mais apaixonado, porque isso você desgastou com o tempo.
Tudo bem então, e obrigada pelo seu carro.
Com amor, seu Ex-Amor.

Deixei a carta sobre a cama. Então eu me levantei com minhas malas, passei pela sala onde ele via televisão, disse um “estou indo à lavanderia”, em um tom animado demais, ”onde estão as chaves do carro?” ele apontou para a mesinha da sala, e nem ao menos me olhou nos olhos, dei a volta no sofá e dei-lhe um beijo. Ele me encarou com estranhamento, mas voltou-se novamente para a TV. Assim, eu saí contente pela porta, entrei no carro, passei na casa de cada uma de minhas amigas, e saí sem rumo. Com todas as minhas gavetinhas do pensamento organizadas. E mais livre do que nunca!



Esse texto é mais um da Tainá Yasmim, ela é colaboradora do blog na parte de divulgação e também escreve textos incríveis como esse que acabou de chegar no meu e-mail HAHA. Se você curte os textos dela continue acompanhando porque tem sempre mais aqui no blog!

You Might Also Like

0 COMENTÁRIOS

FÃ PAGE

PINTEREST