Vinte e nove de Agosto

17:07


Sabe a historia da menina que emagrece, fica linda e poderosa e depois pisa em cima de quem um dia a esnobou? Pois é, não é a minha.
Das experiências da minha vida, ele foi o meu trauma, foi minha cisma, meu segredo, minha obsessão.
Engraçado, eu amei “secretamente”. Um amorzinho bobo daqueles que você alimenta aos quinze anos, antes de ter a sua primeira decepção. Daí você acorda, cai do cavalo, esborracha no chão. Você teima em dizer que ganhou aprendizado, mas vai cometer o mesmo erro quantas vezes for possível, até compreender de verdade o que a vida quer de você.

 Eu ainda estou esperando essa lição de moral da vida cair do céu em cima da minha cabeça, ou me acertar de algum modo engraçado. Aguardando a realidade me bater à porta e com um risinho irônico informar que eu me enganei. Mas confesso que nesse instante, olhando pra mim mesma e para aquela menina de três anos atrás, que chorava bobamente por um sentimento que não era nem a pontinha do ice Berg que se tornou esse amor hoje, eu entendo que da pra aprender muita coisa.

Vou contar uma história engraçada, sobre uma menina que amava fácil demais, até encontrar alguém que não conseguisse mais tirar da cabeça. Alguém que por um tempinho (dois anos) ficou ao lado dela, sem cogitar que ela podia ser um novo alguém no coração dele.
Aquela garota que se contentava com os beijos de vez em quando, mas que sempre quis que todos os beijos dele fossem dela, durante tanto tempo decidiu alimentar esse sentimento. Até que ele virou um monstro e tentou engolir ela. Mas ela até que era inteligente, e quis de uma vez por todas acalmar o monstro, ou permitir que ele a destruísse. “Por que a gente não namora?” Pronto! A coragem da menina fez marcar no calendário o dia pelo qual ela lutou todo o tempo, consagrado pelo “É mesmo, você quer namorar comigo?”.

Daí surge o famoso “felizes para sempre, até o momento” que eu abraço hoje com todas as forças, pedindo pro “sempre” não acabar amanhã, ou depois de amanhã. Que um dia a lembrança da menina boba seja apenas engraçada, e que a mulher que sobreviver saiba dar valor nos momentos em que foi feliz.
Por que eu ESTOU feliz, como nunca acreditei que pudesse estar. Me sentindo completa, mais bonita, permitindo que o beijo dele seja o meu beijo, vivendo cada momento e acreditando que os anos que vão se passando só nos tornam mais fortes.

 Talvez eu só precise bater bem forte com a cabeça pra acordar desse sonho, com certeza deve doer menos do que o que eu vou sentir se isso acabar... Mas eu não me importo com isso, não estou nem um pouco afim de acordar.

You Might Also Like

0 COMENTÁRIOS

FÃ PAGE

PINTEREST